27/04/2021 às 08h18min - Atualizada em 27/04/2021 às 08h18min

​Fundação do Meio Ambiente de Cocal do Sul orienta sobre descarte correto do lixo

A Fundac disponibilizou à população coletores de lâmpadas, equipamentos eletrônicos e óleo, visando a preservação do meio ambiente

Foto: Divulgação.
A Fundação do Meio Ambiente de Cocal do Sul (Fundac) colocou à disposição da população diversos pontos de coleta para que o descarte do lixo possa ser feito corretamente. Materiais como lâmpadas usadas, equipamentos eletrônicos e óleo de cozinha usado não podem ser misturados ao lixo comum e precisam ser descartados separadamente. A Fundac, localizada na Rua Lisboa, no Jardim Bela Vista, é o local onde esses materiais podem ser deixados.
 
“Muitas lâmpadas são tóxicas à saúde humana e ao meio ambiente, por isso não podem ser descartadas no lixo comum, devem ser depositadas em coletores especiais. Buscando dar um destino correto às lâmpadas geradas pela população do município, a Fundac disponibiliza em sua sede um ponto de coleta gratuito, exclusivamente aos consumidores domésticos. Faça sua parte e traga sua lâmpada. Cuidar do meio ambiente é responsabilidade de todos”, declara a diretora superintendente da Fundac, Karla Pezente.
 
Muitas pessoas também possuem equipamentos eletrônicos que estão fora de uso ou que não funcionam mais. Pensando nisso, a Fundac, preocupada com a sustentabilidade e com a maneira certa de descarte desse material, disponibiliza um ponto de coleta para receber o lixo eletrônico que a população gera. Entre os materiais estão pilhas, baterias, aparelhos de celular, computadores, televisão, câmeras, impressoras, além de eletrodomésticos diversos.
 
Combate ao descarte irregular de lixo
 
A Fundac vem desenvolvendo ações no combate ao descarte irregular de lixo e entulho no município. “Pedimos ajuda da população para combater esse problema, que acontece de forma tão recorrente e desvaloriza nossa cidade”, salienta Karla. Vale lembrar que descartar lixo em locais inadequados é proibido e é considerado crime ambiental, sujeito a penalidades previstas em lei.
 
“O descarte incorreto do lixo causa uma série de problemas como proliferação de vetores de doença, poluição visual, entupimento das galerias pluviais, contaminação do solo e das águas. Seja um cidadão consciente, não jogue lixo em ruas e espaços públicos ou lotes baldios”, frisa a diretora superintendente da Fundac.
 
Karla explica que o lixo deve ser separado em dois tipos: lixo comum e lixo reciclável. Restos de alimentos, guardanapos usados, lixo do banheiro e material de varrição são exemplos de lixo comum. Já o papel e papelão, plástico, vidro, metal, isopor e embalagens são considerados materiais de lixo reciclável.
 
Fique atento à atual rota da coleta de lixo:
 
Segunda-feira (período da manhã): Jardim Itália, São João, Bela Vista, Jardim Elizabeth e Rio Comprudente;
Quarta-feira (período da manhã): Cristo Rei, Horizonte, Monte Carlos, Alphaville e Ângelo Guollo;
Quarta-feira (período da tarde): Guanabara, Brasília, União e Boa Vista.
 
Queimada urbana é crime
 
A queima de lixo praticada por diversos cidadãos como forma de dar fim a restos vegetais, lixo doméstico e outros materiais, além do potencial de causar danos à saúde pública, provoca risco de incêndio em proporções maiores, mau cheiro, poluição do ar, além de uma série de transtornos à população vizinha. De acordo com Karla, a prática pode configurar crime ambiental, sujeitando o cidadão a diversas penalidades. “Colabore com a sua comunidade, não queime lixo; com as queimadas todo mudo sofre”, alerta. Para denúncias, basta ligar para o 3444-6035 ou 98832-7699.




Colaboração: Assessoria de Comunicação PMCS
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Contato direto
Comercial
Comercial