28/10/2020 às 18h09min - Atualizada em 28/10/2020 às 18h09min

Páginas de aprendizado, educação e prazer: 29 de outubro é o DIA NACIONAL DO LIVRO

Entretenimento, conhecimento, saúde... Os benefícios proporcionados pela leitura são muitos, uma das principais fontes, são os livros!

Ana Paula Nesi
Foto: Ilustração
Hoje, dia 29 de outubro é comemorado o dia Nacional do Livro. Uma data feita para celebrar estes objetos que trazem aprendizado, conhecimento, lazer, prazer ou simplesmente descontração, mas também, comprovadamente, trazem saúde.
 
 Pesquisadores da Universidade de Sussex, no Reino Unido, comprovaram em estudo que, após um período de 6 minutos de leitura os voluntários já tinham queda na frequência cardíaca e conseguiam relaxar os músculos do corpo, resultando numa queda de cerca de 68% dos níveis de estresse. Outro estudo realizado pelo Centro Médico da Universidade de Rush, e publicado pelo jornal Neurology, ambos nos Estados Unidos, descobriu que pessoas que mantêm o hábito de ler na vida adulta também preservam por mais tempo suas habilidades mentais.
 
O neurocirurgião André Nesi lembra também dos benefícios para a memória. “Os maiores benefícios que a leitura traz estão no âmbito cerebral. Já se sabe que quanto maior tempo de estudo, quanto mais o paciente utiliza o seu cérebro, seja na leitura, estudando, seja no trabalho, menor é o índice de doenças que degeneram o cérebro do ponto de vista cognitivo, ou seja, as demências, como doença de Alzheimer, por exemplo”, afirma ele.
 
Para o professor e mestre em educação, Juliano Carrer, os livros são uma linda fonte de conhecimento. “Penso na ideia de que todos nós seres humanos somos construídos a partir daquilo que aprendemos. Existem diversas formas desse conhecimento ir sendo aprendido e (re)construído. Um exemplo bem nítido disto é nossa capacidade de se comunicar oralmente, ela é aprendida, pois ouvimos outras pessoas. Os livros são lindos instrumentos que possibilitam essa lógica de ir adiante, nos possibilitando descobrir e construir coisas a partir do que eles nos contam. Não são os únicos, mas são uma das ferramentas mais úteis criadas pela humanidade”, ressalta.
 
As bibliotecas e a data


A data de 29 de outubro celebra a instalação da primeira biblioteca no Brasil, que ocorreu em 1810. Trata-se da Real Biblioteca portuguesa, que foi transferida para o Rio de Janeiro, na época, capital do país, tornando-se a Biblioteca Nacional. Contando com um acervo estimado atualmente em dez milhões de itens, é considerada pela Unesco como a oitava maior biblioteca nacional do mundo e a maior da América Latina.
 
Antes de fundar o espaço, a Família Real Portuguesa transferiu seu acervo para o Rio de Janeiro em 1808, onde cerca de 60 mil objetos, entre os quais livros, moedas, manuscritos, mapas e medalhas ficaram nas salas do Hospital da Ordem Terceira do Carmo.
 
Em meio à ascensão crescente da tecnologia, muito se fala na perda de espaço do livro, livrarias e bibliotecas, pelo virtual. Mas para a Bibliotecária, Michelle Pinheiro, que atua no IFSC Criciúma desde 2010, uma coisa não anula e nem substitui a outra. “A vantagem hoje é que você pode ler em diferentes formatos. Há muita procura pelo livro impresso, muitas pessoas preferem manusear o papel, ou não tem tecnologia para leitura de e-books, ou então o conteúdo ainda não está disponível em formato digital”, cita. A profissional conta ainda que na biblioteca em que atua, a procura pelos livros impressos ainda é sim, muito grande. “Tanto técnicos como literatura e assuntos gerais. Continuamos investindo no acervo impresso, e em paralelo a instituição está ampliando nosso acervo virtual”, conta ela, lembrando que o importante é a busca pelo conhecimento.
 
Somente no ano passado, entre as 23 bibliotecas integradas ao sistema do SiBI/IFSC no estado de Santa Catarina, foram aproximadamente 170.000 empréstimos domiciliares de obras impressas. No campus Criciúma, foram 7,7 mil empréstimos realizados em 2019. Michelle ainda lembra da importância de se manter as bibliotecas devido a sua importância sociocultural, que vai muito além de somente emprestar livros. “São espaços de inclusão, de compartilhamento da informação e conhecimento, e de lazer”, finaliza.
 
Em Cocal do Sul, a Biblioteca Pública Municipal que foi inaugurada em 2007 com 2,5 mil exemplares, hoje já conta com mais de 6  mil livros entre literatura, política, romance, ciência, autoajuda e pesquisa que estão disponíveis à população. Para levar o livro para casa, basta fazer um cadastro que lhe da direito há uma carteirinha, onde dois exemplares podem ser retirados e permanecer com o leitor por até 10 dias. O serviço é gratuito e a biblioteca está localizada na rua Dr. Edson Gaidzisnki, anexo ao Colégio Maxiliano Gaidzinski – IMG

Quem são os leitores no Brasil?

Um estudo realizado pelo Instituto Pró-Livro, intitulado Retratos da Leitura no Brasil, buscou mostrar o perfil dos leitores no Brasil e determinou que:
  • Mulheres leem mais que homens. Elas somam 54% da população leitora.
  • 29% dos leitores tem entre 5 e 17 anos, que corresponde ao período escolar.
  • Entre 18 e 39 anos, o total de leitores é de 41%.
  • 33% dos amantes de livros possuem a renda familiar entre 1 e 5 salários mínimos.
  • 47% das pessoas afirma não ler mais por falta de tempo.
  • A região Sudeste concentra 42% dos leitores nacionais.
  • A região sul possui 14% dos leitores.
  • O livro mais lido citado na pesquisa é a Biblia.
  • O número de livros lidos por ano é de 5 por habitante, sendo 2,5 inteiros e 2,4 em partes.

Com todos estes dados o professor Juliano deixa uma última declaração para esta data: “Mesmo que você não curta muito ler e acabe não o fazendo muito, saiba que está optando por evoluir menos, optando por sentir menos a partir de tantas palavras e letras que outras pessoas ousaram escrever. Fica aqui meu convite/pergunta para vocês, e para mim mesmo: Bora ler mais?”.


.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Contato direto
Comercial
Comercial