Lista Telefônica
Lista Telefônica
Adicionar contato
Adicionar
Contato
Home >> Colunistas

Legenda

2018: ANO NOVO, VIDA NOVA? - 16/11/2017

Estamos chegando a mais um findar de ano. Árvores sendo enfeitadas, presépios, luzes, muito brilho e encantamento. Retrospectivas na televisão, melhores momentos. Um novo ano se avizinha. Novos projetos? Uma nova vida?

Muitos dar-se-ão em presentes num automatismo sem fim, afinal é natal. Mas talvez tenhamos passado o ano inteiro sem dizer, para esta mesma pessoa que receberá o nosso presente, as seguintes frases: “você é importante na minha vida”; posso lhe ajudar em algo”; “como tens passado”; etc.

Nós, a humanidade, deveríamos de fato ser mais humanos. Não adianta dar uma de bonzinho nessa época, se passamos o ano inteiro sendo indiferentes aos que estão a nossa volta. Troque a cesta básica por uma abraço, e aquele presente qualquer por um perdão. Deixe o carro na garagem e vá fazer uma viagem com seu filho andando a pé, segurando-o na mão. Engaje-se em algum trabalho voluntário, doe-se, faça acontecer.

Mas será que de fato fizemos algo diferente em 2017? Será que não repetimos os mesmos erros de 2016? O que nos aguarda em 2018? Quantas promessas não vividas, quantas vidas falidas. Depressão, ansiedade, angústia, dor… Me desculpem os encastelados mas a nossa sociedade está doente. Precisamos fazer algo diferente. Que o natal seja uma época de reconciliação consigo mesmo e com o outro. Precisamos encontrar a nossa alegria na felicidade do outro.

Precisamos decretar que o primeiro dia do ano não mais será o da primeira ressaca, devido a cachaça do dia anterior. Precisamos ser menos religiosos e mais cristãos. Quantas pessoas perderam suas vidas neste ano, morreram. Já não estão mais entre nós. Disse uma vez e repito: o lugar nesta cidade onde estão guardados os sonhos mais bonitos é no cemitério. Lá estão sepultados todos os planos daqueles que por aqui passaram e já partiram. Lembre-se, a vida é feita de sonhos, e mesmo que pareçam utopias são eles que nos movem a ação.

O tempo para fazer é o hoje. Faça agora. Não perca mais tempo. Ligue para aquele parente que virou as costas para você e diga “em nome de Jesus me perdoe, pois eu te amo”. Humilhe-se, afinal é no natal que celebramos o nascimento do Cristo, aquele que deixou-se ser humilhado, foi crucificado para depois ser ressuscitado. Ressuscite você também a sua fé. Seja homem, seja mulher, seja gente.

A vida é uma dádiva de Deus, não a desperdice. Exercite o poder da palavra: “bom dia”, “com licença”, “obrigado”. Exercite a alma, ore mais. Fortaleça a musculatura do coração, apaixone-se. Regue a dor com as lágrimas da esperança. E por fim sorria, comece hoje o novo dia!